Além do secretário afastado de Doria, outras dez pessoas também foram denunciadas.

Publicado: 19/08/2020

Foto: Diário dos Trilhos
Viaturas da Polícia Federal (ao centro) transportando Baldy preso para exames no IML em São Paulo. Foto: Diário dos Trilhos

O Secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo que atualmente está afastado de suas funções, Alexandre Baldy, seu primo Rodrigo Sérgio Dias e outras 9 pessoas foram denunciadas pela força-tarefa da Lava Jato do Ministério Público Federal.

A denuncia consiste em crimes de corrupção, peculato, fraude em licitações e organização criminosa, segundo as investigações apontaram. Baldy teria intermediado pagamentos para a Organização Social (OS) Pró-Saúde pela prestação de serviços de gestão hospitalar no Hurso, em Goiás entre os anos de 2010 e 2017.

Ainda de acordo com o MPF, quando então era Secretário de Comércio do Estado de Goiás, Alexandre Baldy usou de sua influencia para que pagamentos atrasados por parte do Governo de Goiás fossem efetuados, recebendo de volta R$ 500 mil em dinheiro. O sucesso da empreitada criminosa teria incentivado a continuidade da pratica, com a intermediação de contratos na área da saúde.

“O esquema contava com a indicação de aliados de Baldy para o controle dos órgãos que pudessem contratar a empresa. A partir daí, ocorria o direcionamento da licitação, sempre mediante pagamento de vantagens indevidas aos agentes públicos”, afirmou o MPF.

Conforme a denúncia, o esquema foi replicado na Funasa que, à época dos fatos, era presidida por Rodrigo Dias, também indicado ao posto por Alexandre Baldy. De acordo com o MPF, a operacionalização neste caso foi mais complexa e contou com a descentralização da contratação da empresa pela Fiocruz, por meio da Fundação de Apoio Fiotec.

* Com informações da Agência Brasil

PRISÃO

Baldy foi preso durante a Operação Dardanários, que investiga esquema de corrupção na área da saúde, quando ele ainda não era secretário do Governo do Estado de São Paulo.

De acordo com a PF foram encontradas quantias em endereços ligados ao secretario, sendo R$ 90 mil em Brasília, R$ 115 mil em Goiânia e mais R$ 45 mil na capital paulista.

A Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM) foi alvo de buscas em sua sede na Rua Boa Vista no Centro de São Paulo na quinta-feira (06). A secretaria se manifestou ao Diário por meio de nota, explicando que a pasta colaborou com a Polícia e que após buscas, nada foi levado pelos agentes.

“Na manhã de hoje (6), a Polícia Federal esteve na sede da Secretaria dos Transportes Metropolitanos, em São Paulo, cumprindo mandado de busca e apreensão da Operação Dardanários, que foi expedido pela 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro. Importante ressaltar que tal operação não tem relação com a atual gestão do Governo de São Paulo. A STM colaborou junto à PF enquanto estiveram no prédio. Após as buscas, nenhum documento ou equipamento foi levado pela Polícia Federal”


Baldy está afastado desde 06 de agosto por pedido de licença por um período de 30 dias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.