Secretário da gestão de João Doria foi preso na quinta-feira (06) em ação da Polícia Federal.

Publicado: 08/08/2020

Foto: Reprodução Instagram

O Secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, preso na quinta-feira, 06 de agosto pela Polícia Federal, foi solto por determinação do Supremo Tribunal Federal z através do Ministro Gilmar Mendes.

Na decisão, Gilmar explicou que uma prisão temporária não pode “ser utilizada como prisão para averiguações nem para forçar a presença ou a colaboração do imputado em atos de investigação ou produção de prova, em conformidade com a presunção de inocência e o direito à não autoincriminação”, além de que não há indícios que Baldy esteja ou pretendesse atrapalhar as investigações, não criando assim, um motivo plausível para tornar necessária a prisão.

Baldy foi preso durante a Operação Dardanários, que investiga esquema de corrupção na área da saúde, quando ele ainda não era secretário do Governo do Estado de São Paulo.

De acordo com a PF foram encontradas quantias em endereços ligados ao secretario, sendo R$ 90 mil em Brasília, R$ 115 mil em Goiânia e mais R$ 45 mil na capital paulista.

A Secretaria de Transportes Metropolitanos (STM) foi alvo de buscas em sua sede na Rua Boa Vista no Centro de São Paulo na quinta-feira (06). A secretaria se manifestou ao Diário por meio de nota, explicando que a pasta colaborou com a Polícia e que após buscas, nada foi levado pelos agentes.

“Na manhã de hoje (6), a Polícia Federal esteve na sede da Secretaria dos Transportes Metropolitanos, em São Paulo, cumprindo mandado de busca e apreensão da Operação Dardanários, que foi expedido pela 7ª Vara Federal do Rio de Janeiro. Importante ressaltar que tal operação não tem relação com a atual gestão do Governo de São Paulo. A STM colaborou junto à PF enquanto estiveram no prédio. Após as buscas, nenhum documento ou equipamento foi levado pela Polícia Federal”

Já a assessoria de comunicação do Alexandre Baldy disse que a vida do secretario é pautada pelo trabalho e retidão, além de que a medida é descabida.

“Alexandre Baldy tem sua vida pautada pelo trabalho, correção e retidão. Foi desnecessário e exagerado determinar uma prisão por supostos fatos de 2013, ocorridos em Goiás, dos quais Alexandre sequer participou.
Alexandre sempre esteve à disposição para esclarecer qualquer questão, jamais havendo sido questionado ou interrogado, com todos os seus bens declarados, inclusive os que são mencionados nesta situação. A medida é descabida e as providências para a sua revogação serão tomadas.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.