Acidente aconteceu na Linha 11-Coral na noite da última segunda (20).

Publicado: 23/12/2021

Imagem registrada após os trabalhos dos Bombeiros. Foto: Créditos ao autor

Um passageiro perdeu a vida depois de cair no vão entre o trem e a plataforma na estação Tatuapé da Linha 11-Coral na última segunda-feira, 20 de dezembro de 2021, por volta das 21 horas.

Segundo informações o homem tentou embarcar, mas o trem fechou as portas. Quando a composição começou a sair, não se sabe o motivo, ele se desequilibrou e caiu para frente, batendo no trem em movimento e caindo no vão entre o trem e a plataforma.

Em razão dos graves ferimentos da queda, mesmo com auxílio da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros, a vítima faleceu ainda no local.

Em nota enviada ao Diário dos Trilhos, a companhia confirmou o ocorrido e lamentou o acidente, reforçando que realiza campanhas de conscientização dos passageiros da importância de ficar por exemplo, atrás da faixa amarela.

Leia abaixo a nota na íntegra: 

“Às 20h58 desta segunda-feira (20/12) um homem que tentava embarcar na plataforma 01, da estação Tatuapé da Linha 11-Coral, sentido Estudantes, após o fechamento das portas e ordem de partida, se desequilibrou e caiu no vão entre o trem e a plataforma, sendo atingido pela composição.

As equipes de segurança da estação acionaram o Corpo de Bombeiros para o resgate da vítima que, infelizmente, faleceu no local.

Uma das vias ficou interditada até 21h22 para o resgate.

A CPTM lamenta o ocorrido e informa que a segurança de todos é uma prioridade da companhia, por isso faz campanhas, usa avisos sonoros e placas informativas para que as pessoas não tentem embarcar ou desembarcar dos trens após o fechamento das portas.”

Um ponto importante a ser debatido e inclusive já é  citado por muitos passageiros, seria a implantação de portas de plataforma nas estações da CPTM também, entretanto diferente do Metrô de São Paulo, existem outras implicações como diferentes frotas de trem com tamanhos diferentes, além do compartilhamento de vias com trens de carga, que resultam inclusive em um vão maior entre o trem e a plataforma.

Uma das medidas que vem sendo tomadas pela companhia, é instalar os chamados “borrachões” em estações de maior movimento, para justamente diminuir essa distancia.

(imagem da capa da matéria retirada antes da pandemia, meramente ilustrativa)

Quer receber nossos textos assim que publicados? Acesse nosso grupo no Telegram (https://t.me/diariodacptm)

Nossas redes sociais
Facebook – http://www.facebook.com/oficialdiariodacptm
Twitter – http://www.twitter.com/DiariodaCPTM
Instagram –  https://www.instagram.com/diariodostrilhos/

Redes Sociais dos autores das matérias:
https://www.instagram.com/ricardobrmorato/
https://www.instagram.com/willianmoreira_fotojornalismo/

3 comentários »

  1. Eu já cai no vão da estação Santo Amaro quando ia sentido Osasco.
    Desacordei, mas os guardas conseguiram me puxar.
    Muito perigoso, principalmente quando esta chovendo e cheio de gente para entrar ou sair.

    Curtir

  2. Com relação a este assunto tem um pequeno histórico de reportagens

    1ª O Globo – 30/agosto/2018 “Nos últimos três anos quase 3 mil pessoas caíram entre o vão e a plataforma”

    2ª Folha de SP – 08/agosto/2018 “Em 2016, com vão até quatro vezes maior do que a norma,989 pessoas caíram nos vãos entre o trem e a plataforma”

    3ª COMMU – 28/fevereiro/2016 “Continuam tingindo a CPTM de cinza” Mostra uma mulher idosa embarcando na estação engº Manuel Feio cujo estribo esta a ~35cm de altura e afastado a uns 40cm da plataforma.

    4ª COMMU – 23/dezembro/2017 “Procura-se um milagre” Mostra se um vão na estação Calmon Viana que está afastado a uns 40 cm da plataforma.

    5ª SuperViaViaTrolebus–12/setembro/2019 “SuperVia” pode ser multada por não reduzir o vão entre o trem e a plataforma”

    6ª CPTM Diário do transporte – 10/agosto/2017 “Cerca de mil pessoas se machucam por ano na CPTM no vão entre o trem e a plataforma”( Com uma tabela de distância de todas as linhas e estações da CPTM).

    CPTM ViaTrolebus – 19/fevereiro/2019 “Trem da série 1100 anda sozinho na Estação de Jundiaí” Conforme afirmado por mim, a foto comprova que os trens desta série nunca possuíram estribo, pois esta composição (1118) tem ~3,05m, trafegou por mais de trinta anos de Paranapiacaba até Francisco Morato e éra a medida é o padrão da CPTM desde 1999, porque de tantos incidentes e acidentes de quedas, atualmente a série 7000 com 3,3m de largura já circulou em todas as linhas da CPTM.
    Não se usa mais o gabarito para aferir as distâncias?
    De acordo com a norma que dispõe da acessibilidade e ergonomia em trens urbanos é a NBR-14021 da ABNT, e no item: 5.6.4 – Vão e desnível entre o trem e a plataforma 10 cm no máximo (horizontal) e 8 cm no máximo de desnível (vertical), e ela não cita o uso de estribo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.