Testes no novo trem da companhia encontraram problemas que vão desde a ausência de extintores, bem como legenda de equipamentos escritos em mandarim. A CPTM diz que é considerado normal a constatação de pendências, que serão solucionadas dentro do prazo, assim mantendo o cronograma da entrada da operação do trem.

Vista do salão interno de passageiros do novo trem da Série 2500 da CPTM. Foto: Divulgação STM

Após matéria publicada ontem sobre problemas encontrados no novo trem da CPTM da Série 2500, a companhia se manifestou por meio de nota na manhã desta quarta-feira, se posicionando sobre o que foi relatado.

O primeiro trem fabricado pelo Consórcio Temoinsa-Syfang na fábrica da empresa CRRC em Qindgao na China, foi entregue em setembro deste ano e iniciou testes pouco tempo depois. Nestes testes foram encontrados dezenas de problemas, dentre eles a ausência de extintores de incêndio e sua indicação, ferrugens em pontos de solda na maioria das portas do trem, falta de isolamento elétrico em alguns componentes do trem, sancas desniveladas e botões e informativos de quadros do trem fora do padrão inclusive com escritos em chinês e não no português o que seria o correto.

A CPTM disse em nota que é normal a constatação de “pendências não impeditivas” que não colocam em risco a segurança do trem durante os testes e que a retirada das pendências e atendimento ao que é desejado pela empresa será feito, não interferindo no cronograma de entrega do trem para a operação que vai atender os passageiros da Linha 13-Jade, ainda em dezembro deste ano.

Na tarde desta quarta-feira (20) o Paparazzi Ferroviário publicou em sua página no Facebook com exclusividade 4 páginas de um documento que reafirma as informações sobre problemas com o 2500, citando vários itens apontados como problemas encontrados durante testes, inclusive com imagens. Confira:

Os trens fazem parte de um lote de 8 trens comprados para atender a linha que liga o centro de São Paulo até o Aeroporto Internacional de Guarulhos. As composições contam com itens como novidades, bagageiros, painel digital sobre as portas com indicação da linha e estações e leitor biométrico do maquinista. O fabricante é o Consórcio Temoinsa-Syfang na China pela empresa CRRC, que nasceu de uma fusão da empresa CNR em 2015. Os problemas detectados neste trem não possuem relação com o caso do trens do Rio de Janeiro que foram fabricados pela CNR e entregues entre os anos de 2014 e 2016, modelo e projeto diferentes do trem atual adquirido pela CPTM.

Confira a nota da CPTM na integra sobre o trem em questão:

“Os trens da série 2500 fabricados na China pelo Consórcio Temoinsa -Syfang foram inspecionados e testados na fábrica em Qindgao/China, acompanhado por fiscalizadora especializada contratada.

É considerado normal a constatação de pendências não impeditivas e que não impactam em segurança do trem no processo de fabricação durante os testes de performance.

Após os testes, a retirada das pendências e o atendimento aos parâmetros específicos, o trem será liberado para operação comercial. A entrada em operação do primeiro trem 2500 está dentro do cronograma previsto.”

1 comentário »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.