Tradicionalmente montada aos domingos, teve sua ação suspensa por falta de patrocínio.

Ciclofaixa montada os domingos na Paulista era a mais utilizada da cidade, mesmo com a criação de uma ciclovia permanente entre as duas pistas. Foto: Divulgação Bradesco Seguros

As tradicionais ciclofaixas de lazer montadas na Av. Paulista e em várias outras avenidas e regiões da cidade, foi suspensa e a partir de hoje, dia 1º de Setembro, não devem ser mais montadas. O motivo foi o encerramento da parceria entre a Prefeitura e o Banco Bradesco, que patrocinava a ação e montava as faixas, com monitoramento, controle de fluxo, sinalização de cones e derivados.

A Secretaria de Mobilidade e Transportes (SMT) divulgou uma nota dizendo que no ultimo dia 26 foi aberta um processo de contrato emergencial, com a finalidade de evitar a suspensão do serviço, entretanto as propostas apresentadas não atendiam os requisitos legais e garantiam a segurança dos ciclistas. Por fim, a nota completa que a ação foi suspensa de forma temporária e que logo uma empresa for contratada o serviço será retomado.

Este é mais um episódio da recente polêmica entre a gestão de Bruno Covas e os ciclistas da cidade. A prefeitura tem sido alvo de críticas e acusada de remover ciclovias na cidade sem aviso prévio ou estudo. Segundo o Jornal Folha de São Paulo apurou, no dia 16 de agosto o secretário da Casa Civil Municipal, João Jorge (PSDB), enviou mensagens a vereadores da base aliada na camara pedindo sugestões de trechos de ciclovias para ser removidos. A prefeitura respondeu o jornal alegando que mesmo com a retirada de algumas vias, o saldo final será positivo com  a criação de novos 170 km da malha cicloviária fixa.

Sobre o serviço

A ideia surgiu em 2009 com uma parceria entre a gestão municipal e a Bradesco Seguros e desde então, durante uma década o serviço foi prestado com a montagem de toda estrutura sendo realizada pelo Banco, com a Prefeitura cedendo as vias e o espaço.

Desde então junto ao projeto os investimentos em ciclovias e ciclofaixas proporcionaram um crescimento da malha cicloviária atingindo em 2019, 473 km de faixas permanentes em todas as regiões da cidade. Neste período também chegaram as empresas de compartilhamento de patinetes como a Yellow, Grin e outros bancos como o Itau.

1 comentário »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.