Praias e parques terão o uso proibido e o transporte para evitar aglomerações é recomendado o escalonamento da abertura de setores de trabalho, assim não ocorrendo de todos se deslocarem ao mesmo tempo.

Publicado: 11/03/2021 – às 14h37

Foto: Divulgação Governo do Estado de São Paulo

Em coletiva de imprensa realizada na tarde desta quinta-feira, 11 de março de 2021, o Governo do Estado de São Paulo anunciou mais medidas restritivas, diminuindo a circulação de pelo menos 4 milhões de pessoas e o escalonamento do horário de atividades de trabalho, válidas entre 15 e 30 de março com Toque de Recolher das 20h às 5h todos os dias.

Levantamento do Centro de Contingência apontou que o aumento das restrições em vários setores e a definição de um toque de recolher de fato, diminuirá a circulação de 4 milhões de pessoas durante os dias, evitando maior contágio e transmissão para evitar o colapso do sistema de saúde.

Segundo o secretário Estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, essa é a crise sanitária mais grave enfrentada no mundo, superior a Gripe Espanhola do início do século XX.

53 cidades estão com 100% dos leitos ocupados e a taxa de ocupação de leitos de UTI no estado inteiro é de 87,6% e de 86,7 na Grande São Paulo, demandando ações para permitir que todos pacientes sejam atendidos, tanto vítimas de covid-19 como das demais doenças e acidentes pessoais.

Na Fase Emergencial que é mais restritiva que a Fase Vermelha, o tele-trabalho é obrigatório para atividades administrativas não essenciais como os órgãos públicos e escritórios. O serviço de Drive-thru passa a ser permitido somente entre 5h até as 20h, mas o delivery continua com permissão de funcionar 24h por dia.

Mas o chamado take-away, retirada de produtos em locais fica proibida para todos os setores, assim como o funcionamento de lojas de materiais de construção, celebrações religiosas e atividades esportivas, inclusive o Campeonato Paulista de Futebol. Este último se ocorrer somente em outro Estado.

O uso de praias e parques fica terminantemente proibido em qualquer horário e o uso de máscara em ambientes internos e externos.

Foto: Divulgação Governo do Estado de São Paulo

Para a Região Metropolitana que inclui a capital paulista e cidades do entorno, é recomendado o escalonamento do trabalho, ou seja, abertura e encerramento em diferentes horários para que assim seja “diluída” a população no transporte me períodos alternados.

* Setor da indústria – horário de entrada das 5h às 7h;
* Setor de serviços – horário de entrada das 7h às 9h;
* Setor do comércio – horário de entrada das 9h às 11h.

Essa medida foi adotada em mais de 150 países como Alemanha, Espanha, França, Israel, entre outros.

Foto: Divulgação Governo do Estado de São Paulo

SETOR ESCOLAR

O secretário da Educação, Rossieli Soares, disse que o recesso do setor público sem prejuízo ao calendário escolar será antecipado entre os dias 15 e 28 de março. Neste período da Fase Emergencial, as escolar públicas ficam abertas apenas para oferecer a merenda (alimentação) e para a retirada de material escolar e dos chips de internet, feito com agendamento antecipado.

No ensino privado ainda é permitido o funcionamento com 35% da capacidade, mas é orientado que este setor busque antecipar o recesso dos professores e as atividades presenciais ocorram somente se for extremamente necessário, caso contrário realizando o ensino de casa e pela internet (online).

TRANSPORTE

Por fim, João Doria fez um pedido para as prefeituras de todas as cidades não diminuírem a frota de ônibus e ressaltou que trens da CPTM e Metrô vão continuar com a frota máxima em operação, já que o objetivo do governo é reduzir o número de pessoas no transporte e não a oferta de lugares.

“Quero lembrar que o sistema de transportes do Estado de São Paulo, ou seja, o sistema de trilhos, CPTM e Metrô não terá alteração e não haverá redução na oferta de transporte. Volto a repetir não haverá alteração e nem redução na oferta de transportes públicos que compete ao Governo do Estado de São Paulo, ou seja, os trens da CPTM e os trens do Metrô, o sistema metroviário e o sistema de trem ferroviário na capital de São Paulo e na Grande São Paulo sob a responsabilidade do Estado, não haverá nenhuma alteração.

E nós recomendamos que as prefeituras da Região Metropolitana, interior e litoral também não reduzam a oferta de ônibus ou outros tipos de transporte público para a população, mantenham a oferta exatamente como está.

O que precisamos é reduzir o número de pessoas utilizando o transporte público e não reduzir o volume e a disponibilidade do transporte público em São Paulo”
, disse Dória.

Quer receber nossos textos assim que publicados? Acesse nosso grupo no Telegram (https://t.me/diariodacptm)

Nossas redes sociais
Facebook – http://www.facebook.com/oficialdiariodacptm
Twitter – http://www.twitter.com/DiariodaCPTM
Instagram – http://www.instagram.com/diariodacptm

2 comentários »

  1. DEUS? a cima de tudo. Eu pesso a DEUS? Que tire está doença terrível do mundo, eu creio que meu DEUS? é Mais poderoso do que está doença, e logo ja DEUS? A cabara com tudo , nunca mais ninguém brinca com DEUS?

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.