Sindicatos vão aguardar até 23 de junho quando nova reunião de conciliação buscará um acordo entre os trabalhadores e a companhia.

Publicado: 26/05/2021

Foto: Diário dos Trilhos
Foto: Diário dos Trilhos

Em assembleia online realizada na tarde e começo da noite desta quarta-feira, 26 de maio de 2021, O Sindicato dos Engenheiros de São Paulo, Sindicato da Sorocabana e Sindicato dos Ferroviário de São Paulo, decidiram adiar a greve que estava programada para ocorrer nesta quinta (27), colocando nova data para 24 de junho.

As entidades acolheram um pedido do Ministério Público para suspender a paralisação e esperar uma nova oportunidade para negociar o acordo que ficou marcada para acontecer em 23 de junho.

Desta forma a operação de trens nas linhas 7-Rubi, 8-Diamante, 9-Esmeralda, 10-Turquesa, 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade será normal.

No começo do mês de maio ao receber a proposta da justiça, a CPTM pediu quinze dias para analisar o que foi apresentado e aí sim se manifestar. Os sindicatos já haviam concordado com a proposta.

Os trabalhadores por meio dessas entidades sindicais protestam pelo atraso no pagamento da PPR (Programa de Participação nos Resultados) que não foi pago conforme data combinada e a companhia havia se manifestado em efetuar o pagamento do PPR de 2020 somente em 2022.

Até o novo encontro não existe a possibilidade de uma greve acontecer e os trabalhadores por meio de seus sindicatos seguem em conversas buscando receber a PPR referente ao ano passado.

Veja abaixo a nota dos sindicatos na íntegra:

“O Sindicato da Sorocabana, em conjunto com o Sindicato de São Paulo e o Sindicato dos Engenheiros de São Paulo, informou que está suspensa a greve marcada para amanhã (quinta-feira), dia 27 de maio. A decisão foi tomada em assembleia que aconteceu hoje (quarta-feira), dia 26 de maio, onde a categoria decidiu por maioria dos votos acatar o parecer do Ministério Público e adiar a paralisação. “Nós não aceitamos o que a CPTM está fazendo com a nossa categoria, mais uma vez a empresa desrespeitou os ferroviários não respondendo ao proposto do MP. Foi marcada uma nova audiência, agora a última, vamos aguardar para ver o que a empresa irá responder, caso a proposta não seja aceita, paramos!”, afirmou o presidente interino do Sindicato da Sorocabana, José Claudinei Messias.

Em terceira audiência no Tribunal Regional do Trabalho, a CPTM alegou, de novo, que ainda não teve aprovação de todos os órgãos de governo necessários para aceitar a proposta do MP para o pagamento do PPR 2020. A empresa insiste em pagar as duas parcelas apenas em 2022, sendo que a primeira estava prevista para o dia 31 de março e a segunda para 30 de junho de 2021. A proposta do Ministério Público é que a CPTM cumpra com o compromisso de junho e efetue o pagamento da primeira parcela com encargos em janeiro de 2022, o que já foi aceito pelos ferroviários, mas que segue em questão por conta do imbróglio entre CPTM e governo estadual.

Foi marcada uma nova audiência para 23 de junho, quando as partes devem entrar em acordo. O MP solicitou que a paralisação dos ferroviários fosse adiada para que não houvesse prejuízo para a população e em assembleia, a categoria decidiu seguir a orientação, se mantendo em estado de greve até o dia 23 de junho e podendo efetivar a paralisação a partir do dia 24 de junho, caso a CPTM insista em não pagar o PPR.”  

Quer receber nossos textos assim que publicados? Acesse nosso grupo no Telegram (https://t.me/diariodacptm)

Nossas redes sociais
Facebook – http://www.facebook.com/oficialdiariodacptm
Twitter – http://www.twitter.com/DiariodaCPTM
Instagram – http://www.instagram.com/diariodacptm

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.