Segundo o MP houve prática de cartel que causou prejuízos a população durante anos.

Foto: Diário dos Trilhos

O Ministério Público de São Paulo (MPSP) iniciou uma ação pública que denuncia a prática de Cartel com empresas de ônibus da capital, o que causou prejuízos a população e aos cofres públicos.

Na ação da promotoria é pedido que seja devolvido aos cofres públicos R$ 1,88 bilhão pela SPTrans, oito ex presidentes da empresa municipal e de três empresas de ônibus do empresário, José Ruas Vaz, sendo elas: consórcio Plus, Unisul e Sete que teriam no período de pelo menos nos últimos 15 anos, recebendo valores acima do contrato para prestar um serviço abaixo do devido, não melhorar a qualidade dos veículos e pontualidade, além das empresas mudarem de nome para assim continuar operando e não pagar a dividas com o governo.

Entre o período de 2003 até 2019 os contratos com as empresas era emergencial em boa parte do tempo e compreendia as gestões de Marta Suplicy e Fernando Haddad (PT) e João Dória e Bruno Covas (PSDB). Já no apontamento do cartel, isto se deve ao fato das empresas serem do mesmo dono, o que implica em uma concorrência inexistente que eliminava empresas que poderiam buscar participar da prestação dos serviços.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.