A categoria rejeitou a proposta do Metrô que segundo o sindicato, não garante os direitos a escala e jornada de trabalho, atacando os funcionários e os obrigando a uma jornada de trabalho maior que a devida, ultrapassando o limite legal e levando os funcionários ao estresse de trabalho e riscos na execução das tarefas.

Foto: Sindicato dos Metroviários/Paulo Iannone

Em assembleia realizada nesta sexta-feira (08) na sede do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, os funcionários rejeitaram uma proposta da empresa e decidiram decretar o estado de greve e fazer uma contraproposta ao Metrô, buscando negociar e chegar a um acordo entre as partes. O sindicato vem denunciando nos últimos dias, medidas adotadas pela gestão de João Dória que ao invés de contratar funcionários para aumentar o quadro e preencher funções que carecem do número ideal de profissionais, opta por aumentar a jornada de trabalho e carga horária, prejudicando a prestação do serviço.

Um plano de lutas também foi aprovado pela categoria (confira abaixo):

– Intensificar o uso do adesivo;
– Qualquer alteração na jornada não deverá ser respeitada pela categoria;
– Defesa das duas escalas do VPN/VPL e repúdio aos assediadores da área;
– Realização de setoriais nas áreas;
– Não fazer horas extras nem quebra-galhos.

Na próxima terça-feira 12/11, uma nova assembleia será realizada no sindicato, para definir as ações da categoria e do movimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.