A categoria protesta contra a redução dos ônibus e o não pagamento da Participação de Lucros e Resultados (PLR) pelas empresas.

Ônibus podem parar na sexta, caso não houver um entendimento entre as partes. Foto: Eduardo Reis

O Sindmotoristas, que representam os motoristas e cobradores de ônibus da capital, divulgaram na tarde desta terça (03), um plano de lutas contra a redução da frota de ônibus, dos contratos emergenciais da prefeitura com empresas de ônibus da cidade e o não pagamento da PLR.

No texto consta um cronograma das ações e a forma de protesto pela defesa dos empregos e dos direitos trabalhistas. Caso as solicitações não forem atendidas, os ônibus não vão circular na sexta-feira, com apenas o Metrô e CPTM funcionando normalmente. A categoria segue em conversas com as empresas e a Prefeitura, para uma solução do problema, mas amanhã já está programado uma manifestação em frente a prefeitura de São Paulo e Câmara Municipal às dez horas com o uso de veículos em frente aos dois pontos, o que pode causar alterações na operação do transporte na região central.

Confira abaixo o cronograma das ações da categoria para os próximos dois dias:

05/09 (quinta-feira), às 8 horas – Concentração dos trabalhadores na sede do sindicato;

05/09 (quinta-feira), às 10 horas – Concentração de ônibus e protestos dos condutores na sede da Prefeitura e da Câmara de Vereadores;

06/09 (sexta-feira) – Paralisação da categoria, os trabalhadores vão parar São Paulo se as empresas não pagarem a PLR.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.